Alice-Casagrande.jpg

O que significa o recurso à figura de estilo da guerra, que certamente foi desenvolvida com fins políticos, mas cuja popularidade aponta, sem dúvida, para as dimensões mais profundas das nossas representações coletivas?

Alice Casagrande

Formada pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris, pela Universidade de Cambridge, com mestrado e DEA em filosofia ética, Alice Casagrande é especialista em questões de ética e luta contra maus tratos de pessoas vulneráveis. É Presidente da Comissão Nacional de Prevenção de Maus Tratos e Promoção do Bom Trato a Idosos e Deficientes. Desde outubro de 2014, é diretora de formação, inovação e vida associativa da Fehap, Federação de hospitais e estabelecimentos de assistência pessoal sem fins lucrativos. Participou em duas missões públicas sobre a velhice: a consulta sobre velhice e autonomia; a missão de Myriam El Khomri sobre profissões. Leciona ética e gestão na Universidade Paris Dauphine e no espaço ético Ile-de-France, e leciona sobre prevenção de maus-tratos na Ecole des Hautes Etudes em Saúde pública. Por fim, é presidente da Comissão de ética do grupo de hospitais do Kremlin-Bicêtre (AP-HP) e, desde fevereiro de 2019, membro da comissão independente de investigação de abusos sexuais na Igreja (CIASE). Autora de vários livros e artigos: Questions d’éthique autour du donneur vivant (2007), Vieillir en institution (2008), Ce que la maltraitance nous enseigne (2012), Ethique et Management du soin et de l’accompagnement (dir., 2016).