Armin-Grunwald.jpg

Pode-se debater se o registo digital de contactos de contactos por Covid-19 é eticamente responsável e oportuno.

Armin Grunwald

Armin Grunwald estudou física, matemática e filosofia. Doutorou-se (Dr. rer. nat.) pela Universidade de Colónia em 1987. Fez a sua Habilitação com venia legendi em filosofia em 1998 na Universidade de Marburg. Trabalhou na indústria (engenharia de software, 1987-1991), no Centro Aeroespacial Alemão (1991-1995) e como diretor adjunto da Academia Europeia para a Investigação das Consequências do Desenvolvimento Científico e Técnico (1996-1999). Desde 1999 dirige o Instituto de Avaliação da Tecnologia e Análise de Sistemas (ITAS) no Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT). Desde 2002 dirige também o escritório de Avaliação da Tecnologia no Bundestag alemão (TAB). Desde 2007 é também professor de ética e filosofia da tecnologia no KIT. É membro da Academia Alemã de Ciências da Tecnologia (Acatech) desde 2009 e membro da presidência da Acatech desde 2014. Foi membro da comissão de repositórios geológicos profundos (para resíduos tóxicos ou radioativos) do Bundestag alemão de 2014 a 2016. Foi membro da Comissão de Ética para Condução Autónoma e em Rede do Ministério Federal dos Transportes em 2016/2017. É presidente do Comité Nacional de Apoio à Busca de Repositórios geológicos profundos desde 2020. As suas áreas de trabalho são: Teoria e metodologia de avaliação da tecnologia, filosofia da tecnologia, ética da tecnologia, desenvolvimento sustentável. Autor de Der unterlegene Mensch. Zur Zukunft der Menschheit angesichts von Algorithmen, Robotik und Künstlicher Intelligenz (Riva, 2018) (O homem inferior. Sobre o futuro da humanidade diante de algoritmos, da robótica e da inteligência artificial