Serge-Tisseron.jpg

A pandemia COVID-19 trouxe questões éticas fundamentais para o primeiro plano mediático, em particular pelas implicações nas prioridades de saúde e na procura do equilíbrio necessário entre segurança e liberdades.

Serge Tisseron

Serge Tisseron é psiquiatra, membro da Academia de Tecnologias, doutor em psicologia, membro do conselho científico do CRPMS da Universidade de Paris. Publicou cerca de quarenta ensaios pessoais, nomeadamente sobre segredos de família e sobre a nossa relação com as imagens, traduzidos para doze idiomas, e mais de 200 artigos. Investiga em particular sobre como novas tecnologias nos transformam. Fundou 4 associações: Três, Seis, Nove, Doze para apoiar os pais nas suas tarefas educacionais em torno dos ecrãs; Instituto para o Estudo das Relações Humano-Robôs para estudar as relações entre humanos e máquinas; O Jogo das Três Figuras para desenvolver empatia do jardim de infância ao ensino básico, usando a atividade teatral. O Projeto que fundou recebeu apoio e certificação do Ministério da Educação Nacional; Instituto de História e Memória das Catástrofes criado em 2008 em parceria com o Ministério da Ecologia, do Desenvolvimento Sustentável e da Energia (MEDDE) para contribuir para a resiliência social face às catástrofes com base nas memórias individuais e coletivas. Em 2002, recebeu o Prémio de Livro de Televisão, em 2004 o Prémio Stassart da Academia de Ciências Morais e Políticas, e em 2013, em Washington, um Prémio do Family Online Safety Institute (FOSI) "for outstanding achievement". Foi co-editor do parecer da Academia Francesa de Ciências, L'Enfant et les tableaux (2013). O seu site: http://www.sergetisseron.com.